Curso capacita jovens do sertão pernambucano para produção de Hidromel

O curso de hidromel é ofertado pelo Projeto Amanhã da Codevasf.

Jovens de sete municípios do sertão pernambucano estão prontos para entrar no mercado de apicultura com a produção de hidromel, considerada a bebida mais antiga do mundo. Uma capacitação promovida pelo Projeto Amanhã da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) formou 17 alunos dos municípios de Belmonte, Mirandiba, Ouricuri, Parnamirim, Pesqueira, Petrolina e Serra Talhada.

O curso de hidromel ofertado pelo Projeto Amanhã da Codevasf buscou incentivar jovens desses municípios a ampliar a lista de produtos que podem ser feitos a partir do mel, agregando maior valor comercial. O curso teve carga horária de 50 horas, com conclusão na última sexta-feira (10), e foi ministrado pelos engenheiros agrônomos Tayná Helen e Erison Martins e pelo zootecnista da Marcelo Lopes, no Campus Parnamirim da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

A capacitação deu clareza ao caminho profissional que os jovens pernambucanos desejam trilhar, a exemplo de Cleyton Silva, estudante de Zootecnia da UFRPE, que concluiu a imersão em apicultura com o curso de Produção de Hidromel, no município de Parnamirim. “Eu não sabia qual área seguir e graças à Codevasf tive a certeza de que vou seguir na área de apicultura”, comemorou o mais novo produtor da região.

Durante o curso, os jovens tiveram a oportunidade de debater temas atuais sobre a prática da apicultura e acerca do que há de mais novo no manejo de abelhas, como os processos para a exportação do mel e a diferença entre o produto orgânico e o comum. Na programação do curso, também foram apresentadas técnicas de aumento da produtividade das colmeias.

Após o conteúdo teórico dos dois primeiros dias da formação sobre como produzir um mel de qualidade, que é a matéria-prima para o hidromel, os jovens puderam colocar, de fato, “a mão na massa”, ou melhor, no mel. “Mostramos aos alunos na prática o que debatemos no início do curso, de como podemos aumentar a produtividade dos enxames para produzir mais mel e, consequentemente, mais mel”, explicou a engenheira agrônoma Tayná Helen.

Curso capacita jovens do sertão pernambucano para produção de Hidromel 3.jpegA engenheira agrônoma explicou que há diversos produtos que podem ser feitos a partir do mel, desde a geleia real até cosméticos e que todas essas possibilidades acabam tendo um valor comercial maior que o próprio mel. Ela ainda destacou que a formação ofertada de forma gratuita pelo Projeto Amanhã deve gerar mais renda e desenvolvimento profissional para os participantes. “Com o curso, os jovens capacitados ampliaram as possibilidades profissionais a partir do mel, que é um dos produtos mais baratos da Apicultura. Agora passam a ter o produto como matéria-prima para derivados com maior valor comercial”, pontua Tayná Helen.

Bebida apreciada nas civilizações antigas

O hidromel é considerada a bebida mais antiga do mundo, tendo registros datados de 8.000 anos a.C. Para quem acompanha seriados que remetem à Idade Média, o produto feito à base da fermentação de água e mel, com graduação alcoólica variando entre 4° e 14° GL, em média, é bastante popular já que era amplamente consumida pelos Vikings, tomada em chifres, mas também na civilização egípcia, grega e também no Império Romano.

Tags:
pernambuco
Author
Thiago Lima

Thiago de Lima Silva, natural de Salgueiro-PE, tem 31 anos. Iniciou no Rádio aos 17 anos de idade.

Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Contador de visitas